Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Como estrelas na Terra

Como estrelas na Terra

22
Dez18

Deus "Nasceu"...


Maria Oliveira

 

Nasci nu, diz Deus, 

para que saibas despojar te de ti mesmo.

Nasci pobre,

para que me consideres tua única riqueza.

Nasci num estábulo

para que aprendas a santificar cada ambiente.

Nasci débil

para que que nunca tenhas medo de Mim.

Nasci por amor,

para que jamais duvides que te amo.

Nasci de noite,

para que acredites que sou a Luz do mundo.

Nasci perseguido,

para que saibas aceitar as dificuldades.

Nasci na simplicidade, 

para que deixes de ser complicado 

Nasci na tua vida,

para te conduzir à Casa do Pai

 

(Lambert Nolen)

20
Dez18

200 anos de Noite Feliz... vocês sabiam ?


Maria Oliveira

      Se tem uma canção que não pode faltar na época do Natal, é a clássica Noite Feliz. Faz 200 anos que Stille Nacht – como é chamada no original em alemão – foi ouvida pela primeira vez, na Igreja de São Nicolau, em Oberndorf, na Áustria, na missa da noite do Natal de 1818. Traduzida para centenas de línguas, Noite Feliz foi declarada em 2011 pela UNESCO um Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.
Quem esteve lá naquela noite ouviu a canção sendo executada a voz e violão pelos seus dois compositores: o da letra, o padre Joseph Mohr (1792-1848) – era um poema que ele havia escrito dois anos antes –, e o da música, o professor e organista Franz Xaver Gruber (1797-1863). Gruber havia escrito a partitura no mesmo dia, em poucas horas, após receber uma visita do padre pela manhã.
    Mohr tinha apenas 23 anos de idade e um como padre quando escreveu o poema que deu origem à canção. A Europa acabava de passar por um momento atribulado – as Guerras Napoleônicas assolaram o continente entre 1803 e 1815. Não é de se estranhar, portanto, que o tema da paz atravesse o texto. A letra original fala de Jesus que “como um irmão abraça carinhosamente os povos do mundo”.
A casa em que Gruber viveu por 28 anos, em Hallein, é hoje o Stille Nacht Museum – o “Museu Noite Feliz”. A Igreja de São Nicolau não existe mais: a região sofria com constantes alagamentos e o templo acabou por ser demolido em 1913. Porém, em seu lugar foi construída entre 1924 e 1936 a Stille-Nacht-Gedächtniskapelle, ou “Capela Memorial Noite Feliz”.

     A versão em inglês da canção surgiu em 1859, traduzida pelo padre episcopaliano John Freeman Young em Nova York. Já a versão em língua portuguesa é de 1912 e se deve ao frade franciscano Pedro Sinzig. Nascido na Alemanha, ele veio para o Brasil em 1898, aos 22 anos.

A Philharmonia Orchestra, no Reino Unido, interpreta o clássico de Natal

 Fonte : Aleteia 

19
Dez18

Lindo poema sobre o casamento


Maria Oliveira

Através de uma amiga descobri este poema lindo que partilho com vocês; 

Existem certas pessoas, carentes de entendimento,
Que acham que não foi Deus, que Criou o Casamento,
A principio lhes parece que não foi conveniente,
Unir dois seres avessos, de fato, bem diferentes,
Mas nós que somos cristãos e temos boa memória,
Sabemos muito bem como surgiu essa história.
Adão andava ocupado trabalhando com capricho,
Se esforçando o dia inteiro, pensando em nome de bicho,
Era tigre, porco, tatu, macaco, alse, leão,
Adão andava inspirado, e foi mesmo abençoado, com tanta Imaginação,
Mas é possível que o sujeito também tenha reparado,
Que todo animal macho tinha uma fêmea do seu lado,
E Deus por demais atento, sondando-lhe o coração,
Decidiu que era preciso dar um fim a solidão e disse-lhe:
- Adão filho querido não quero te ver tão só;
Farei por companheira uma joia de primeira da costela e não do pó.
E pondo Deus em ação aquilo que pretendia,
Nocauteou nosso Adão dando inicio a cirurgia,
E Deus cortou-lhe o osso pondo carne no lugar,
E assim fez a princesa, esperando ele acordar,
Quando o varão despertou daquele sono pesado,
O corte da cirurgia já tinha cicatrizado,
E Deus trouxe a varoa e a entregou à Adão,
E ouviu um brado de Glória e a seguinte exclamação,
- Ela é carne da minha carne, Ela osso do meu osso,
E Adão foi pra galera e fez aquele alvoroço,
E a partir daquele dia, o homem bem mais ocupado,
Deixou pra trás muitos bichos sem o nome catalogado;
E até hoje rola um papo, bem machista e corriqueiro,
De que o homem é mais importante, porque foi feito primeiro,
Algumas mulheres se irritam e afirmam de arma em punho,
Que a vinda da obra prima vem sempre após o rascunho,
Mas há homens que falam e mesmo quem acredite
Que Deus fez Adão primeiro para Eva não dar palpite,
Mas isso é irrelevante pro sucesso da vida a dois,
Pra ser feliz não importa quem veio antes ou depois,
Porque Deus fez tudo perfeito discorde quem quiser,
Mas o melhor da mulher é o homem,
E o melhor do homem é a mulher

Autor: Sidney Moraes (Rio Bonito)
 

 


 
12
Dez18

Linda Homenagem aos professores


Maria Oliveira

 

A companhia aérea turca Turkish Airlines preparou uma homenagem emocionante para comemorar o Dia dos Professores, que no país se celebra no dia 24 de novembro. Uma campanha da empresa presta tributo ao capitão Selahattin Onan, professor da escola de pilotos, e põe em evidência o respeito que se deve aos professores. Onan estava em um voo da companhia quando o capitão, da cabine, começou a dizer:  “Senhores passageiros, quem fala é o capitão deste voo. Hoje é um dia importante. Há seis anos eu sou piloto, como parte da família Turkish Airlines, e muito disso se deve aos esforços do meu professor Selahattin Onan, um professor com uma longa carreira que está conosco no avião hoje. É muito bonito poder chamar de professor alguém que é como um pai para mim.”

 Todos os bons sentimentos são belos , mas a gratidão é dos que mais tocam

Fonte : Aleteia

11
Dez18

O Destino , visto por Salvador Dali e Walt Disney


Maria Oliveira

     Deixo vos esta curta metragem , lindissima e única, que resulta de uma  parceria de Walt Disney com o surrealista  Salvador Dali e  música interpretada por Dora Luz; As personagens parecem  lutar contra o tempo, um enorme relógio solar que emerge da grande face de pedra de Júpiter e  determina o destino de todos os romances humanos. É a história de Chronos, a personificação do tempo e da incapacidade de realizar seu desejo de amor por uma mortal. As cenas misturam a iconografia das pinturas de Dalí com dança e metamorfose. A mulher dança sem parar, surgem figuras bizarras ao longo do video , sempre em busca do amado.... 

     Mas o homem só a via através de figuras aparentes, no negativo formado por outros elementos; sendo talvez a única maneira que a mulher possa se vincular com ele. Deste modo, ela volta a aparecer no campanário, tornando-se una com o seu coração.

Quem vence o tempo ? Quem vence o amor ?