Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Como estrelas na Terra

Como estrelas na Terra

30
Abr18

Para de tentar ser uma mãe perfeita - PARTE I


Maria Oliveira

     Sei que muitas de nós, que somos mães , já passamos  por muitas situações frustrantes, desgastantes, que nos fizeram questionar / duvidar da nossa competência para sermos mães? mas será que isso existe? isso de termos competência ou não? Não há universidade nenhuma que te valide ou te certifique isso; Só se for a da  Vida; Mas essas experiências menos positivas fazem precisamente parte do nosso crescimento pessoal enquanto seres humanos e enquanto pais;

   Já me questionei imensas vezes sobre se estarei sendo a mãe ideal, a mãe amiga, companheira, presente, perfeita??? Não não estou; tenho falhado imenso com as minhas filhas, sobretudo quanto à presença: quantas vezes estou com elas mas não estou, estou a léguas no mundo das preocupações, encargos, problemas, ansiedades,responsabilidades....; E isso tem me custado um pouco a  ultrapassar, porque já não posso voltar atrás e consertar isso; 

   Sei que os tempos são outros , talvez mais dificeis, do que no tempo de nossos pais,  para educar os filhos; Surgem cada vez mais perigos e incertezas no horizonte , mas que nada nos tire a firmeza e segurança da nossa missão; Pois o que é mais importante e mais forte do que o Amor que temos pelos nossos filhos ? O Amor , para mim é a base, independentemente de todas as nossas falhas, inseguranças, defeitos, feitios, falhas, fraquezas, limitações , valha nos o Amor! E o AMOR , esse sim, é PERFEITO!

   Entao mamãs, vamos levar esta missão com mais leveza, com mais simplicidade , mais serenidade e com menos exigências; 

Aproveito este post para vos deixar  também umas ideias que fazem toda a diferença na criação de nossos filhos, porque para eles estarem bem, temos de estar nós primeiro; Então , 

  1.  Continua sendo tu mesma. Não precisas desistir das tuas paixões e interesses só porque  és mãe. É importante que encontres tempo para fazer o que gostas: ler, escrever, praticar exercicio - faz  dessas coisas uma prioridade e arranja forma de incorporá-las no teu dia-a-dia.   Como se depois da maternidade houvesse tempo para fazer tudo que gostamos?!? ... Mas o importante é ter isso como uma meta. Mesmo que não consigas fazer tuas coisas com tanta frequência como antigamente, só o fato de te preocupares com as tuas próprias necessidades, faz de ti uma pessoa mais feliz e consequentemente  influencia também na missão de seres mãe ; 
  2. Não sejas uma mártir. Os nossos filhos não pediram para nos sacrificarmos  tanto assim. Eles não precisam disso e também não querem pagar o preço de serem criados por um mãe sofredora. Precisas  de um tempo sozinha? Deixa as crianças ver um pouco de televisão , com os avós, sai um pouco, lê um livro, faz algo agradável .... nós planeamos ;   então toca a relaxar ; Aceita que às vezes a casa vai ficar desarrumada , que as refeições serão menos saudáveis por vezes ,  e que as crianças vão ter que se ocupar sozinhas para recarregares as baterias.
  3. Livra te  da culpa. Culpa é um dos efeitos colaterais mais comuns da maternidade e não ajuda em nada: é perda de tempo e de energia. Quando tomares uma decisão, seja ela grande ou pequena, evita ficar remoendo na decisão tomada. Ninguém é perfeito. Tu não és perfeita, e irás sem dúvida, cometer erros. Se  amas os teus filhos e cuida das necessidades básicas deles, eles vão ficar bem. 
  4.  Sê paciente. Criar filhos dá mesmo muito trabalho. Eles fazem mil perguntas,  arranjam confusões, e precisam de ti o tempo todo. Claro que perdes a paciência de vez em quando, mas na maioria das vezes, respira fundo. Olha para eles como o que eles realmente são: criaturinhas inocentes que precisam do teu amparo.

 e , bom , para não ficar muito extenso, termino por aqui, na próxima semana, irei partilhar mais agumas ideias; 

Espero que vos sejam úteis 

Ideias retiradas de uma tradução livre de um trecho do post "How to be a great mother - 12 awesome tips" do blog zen habits. O texto original em inglês é de Vered DeLeeuw.