Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Como estrelas na Terra

Como estrelas na Terra

11
Dez18

O Destino , visto por Salvador Dali e Walt Disney


Maria Oliveira

     Deixo vos esta curta metragem , lindissima e única, que resulta de uma  parceria de Walt Disney com o surrealista  Salvador Dali e  música interpretada por Dora Luz; As personagens parecem  lutar contra o tempo, um enorme relógio solar que emerge da grande face de pedra de Júpiter e  determina o destino de todos os romances humanos. É a história de Chronos, a personificação do tempo e da incapacidade de realizar seu desejo de amor por uma mortal. As cenas misturam a iconografia das pinturas de Dalí com dança e metamorfose. A mulher dança sem parar, surgem figuras bizarras ao longo do video , sempre em busca do amado.... 

     Mas o homem só a via através de figuras aparentes, no negativo formado por outros elementos; sendo talvez a única maneira que a mulher possa se vincular com ele. Deste modo, ela volta a aparecer no campanário, tornando-se una com o seu coração.

Quem vence o tempo ? Quem vence o amor ? 
 

 

 

10
Jul18

Destino é questão de escolha ?


Maria Oliveira

    Em imensas situações da minha vida me questionei sobre o destino; já estará a minha vida traçada algures,escrita como será vivida? Deus terá planos para cada um de nós? O mal e o bem que acontece a cada um de nós já estava previsto algures? E com quase 40 anos ainda não sei responder a nada disto; já li vários livros sobre o tema mas fiquei ainda mais confusa; Podemos escolher o nosso destino ou não? 

Uma coisa é certa, posso mudar o rumo dos meus dias, mudando o rumo dos meus pensamentos...até ao dia final;  

Já muitos autores (já li alguns) abordaram o tema sobre diferentes pontos de vista, dos quais partilho aqui:

Segundo Augusto Cury,  Nunca Desistas dos Sonhos,  as nossas escolhas é que determinam o nosso caminho. Fernando Pessoa no livro do Desassosego " Assim como lavamos o corpo devíamos lavar o destino, mudar de vida como mudamos de roupa" e "Nada há que tão notavelmente determine o auge de uma civilização, como o conhecimento, nos que a vivem, da esterilidade de todo o esforço, porque nos regem leis implacáveis, que nada revoga nem obstrui. Somos, porventura, servos algemados ao capricho de deuses, mais fortes porém não melhores que nós, subordinados, nós como eles, à regência férrea de um Destino abstracto, superior à justiça e à bondade, alheio ao bem e ao mal."

  José Saramago, em Cadernos de Lanzarote diz que "O destino, isso a que damos o nome de destino, como todas as coisas deste mundo, não conhece a linha recta. O nosso grande engano, devido ao costume que temos de tudo explicar retrospectivamente em função de um resultado final, portanto conhecido, é imaginar o destino como uma flecha apontada directamente a um alvo que, por assim dizer, a estivesse esperando desde o princípio, sem se mover. Ora, pelo contrário, o destino hesita muitíssimo, tem dúvidas, leva tempo a decidir-se... "

  Schopenhauer, filósofo alermão, diz que o destino não está traçado  e admite que ele  pode nos dar as circunstâncias, mas que somos nós mesmos que temos de jogar com o que o destino nos dá. Já Sartre, filósofo, não acredita no destino. Acredita sim, que o homem tem o poder de construir o seu caminho conforme quiser.

"Não poucas vezes esbarramos com o nosso destino pelos caminhos que escolhemos para fugir dele", dizia o La Fontaine

    Clarice Lispector  " Eu sinto que nós chegamos ao limiar de portas que estavam abertas – e por medo ou pelo que não sei, não atravessamos plenamente essas portas. Que no entanto têm nelas já gravado o nosso nome. Cada pessoa tem uma porta com seu nome gravado, e é só através dela que essa pessoa perdida pode entrar e se achar." e  "É determinismo, sim. Mas seguindo o próprio determinismo é que se é livre. Prisão seria seguir um destino que não fosse o próprio. Há uma grande liberdade em se ter um destino. Este é o nosso livre-arbítrio"

    Eça de Queiros nos Maias  "A gente nunca sabe se o que lhe sucede é, em definitivo, bom ou mau."

"Quando um homem procura o seu destino, vê-se muitas vezes forçado a mudar de rumo. Outras vezes, as circunstância externas são mais fortes e vê-se obrigado a acobardar-se e a ceder. Tudo isto faz parte da aprendizagem." Paulo Coelho, em Monte Cinco e "Os homens são mestres do seu próprio destino. Podem cometer sempre os mesmos erros. Podem fugir sempre de tudo o que desejam e que a vida, generosamente, coloca diante deles."(Brida)

A ideia mais confusa que encontrei foi do Alexandre Dumas ,  "O destino de uma mulher lê-se nas feições do marido" (não percebi?!?!); das restantes ainda dá para compreender e refletir 

E vocês ,o que acham ? já estará escrito algures que o post será ignorado , kkkkkkkkkkkkk